O teatro é uma atividade com grande tradição no Instituto de Estudos Ibéricos e Ibero-americanos da Universidade de Varsóvia (I.E.I. e I. U.V.). O grupo foi fundado em 1997 pela então representante do Instituto Camões (IC) em Varsóvia, Dra. Fátima Fernandes. Desde 2002 e até ao presente, o grupo tem sido dirigido por José Carlos Dias, o atual representante do IC em Varsóvia.  Em 2004, o grupo tomou o nome de “Pisca-Pisca”, porque os atores da altura acharam graça à palavra, e assim ficou. Desde a sua fundação, já fizeram parte do grupo cerca de 100 pessoas e representaram-se 18 peças de diversos autores portugueses, polacos, brasileiros, entre outros, sempre em língua portuguesa.

O grupo de teatro português começou como um projeto pioneiro e agora é uma componente sólida e uma das áreas mais valorizadas do currículo académico dos cursos de licenciatura e mestrado em Estudos Portugueses, funcionando como cadeira de opção aberta a todos os estudantes e professores do Instituto. Além de constituir uma experiência memorável, o teatro tem como objetivo apoiar o ensino da língua portuguesa no I.E.I. e I. U.V. A sua prática traz imensos benefícios para quem está a aprender a língua. Em primeiro lugar, cria-se uma situação informal e um ambiente bem-disposto que atenua os constrangimentos que sente quem começa a falar uma língua estrangeira. Depois temos, claro, o texto da peça que é preciso aprender de cor e que se acrescenta ao conhecimento da língua já existente e ao que vem das aulas. E por fim, o português é a língua de trabalho durante os ensaios, portanto, qualquer ideia, opinião, sugestão, comentário, teimosia, fúria, alegria, suspiro, etc. a propósito da peça, deverá ser expresso em português.

Os textos trabalhados até ao momento são maioritariamente de autores portugueses, mas por vezes encenam-se também peças e autores estrangeiros, principalmente polacos. Entre estes, o grupo já representou Sławomir Mrożek, Konstant Ildefons Galczynski e Dorota Masłowska, autores que foram também traduzidos pelos estudantes do grupo. É uma forma da trupe dos Pisca-pisca contribuir para que o teatro português e polaco se possam conhecer melhor.

O grupo renova-se todos os anos, mas tem vindo sempre a manter um grande poder de atração. A maioria participa como atores, mas para aqueles que não se dão bem com os nervos da ribalta, há sempre funções técnicas em que podem ajudar. O importante é ter vontade de aprender português e querer divertir-se.

 

José Carlos Dias
Leitor do Camões I.P. em Varsóvia e em Lublin